Holosofia - Origem

 

“A História da Humanidade registra os movimentos de guerra em todos os momentos evolutivos das sociedades no mundo inteiro... Se tem sido possível formar batalhões destrutivos baseados no egoísmo, talvez seja possível, mais razoável e humano compor legiões construtivas respaldadas no altruísmo”

 

Este foi o insight que ocorreu em Puna, na Índia, mais precisamente na Osho Commune International, às seis horas da manhã de uma 6ª feira, dia 11 de março de 1994, ao término da meditação – Dynamic Meditation –, saindo do Buddha Hall e entrando na contígua floresta de bambus. Uma experiência inesquecível!
A ocasião permitia ouvir-se o próprio silêncio interior, sem qualquer perturbação orgânica e desfrutando-se da sensação de bem-estar físico, mental, social e espiritual. Um verdadeiro estado de saúde plena, de saudena* e consciência existencial. 
O insight, agora idéia, pedia uma palavra que viesse tornar possível a sua expressão prática. Após exaustiva procura, foi encontrado o prefixo grego “holos” (inteiro, completo, pleno), que associado à palavra “Sofia” (sabedoria), viria dar origem ao termo HOLOSOFIA.
O próximo passo sinalizava para a definição da palavra recém-construída
.

 

2. Definição

 

Holosofia é a ciência/arte cujos princípios proporcionam uma vida ético-existencial plena, mediante a expansão da consciência pela meditação.

 

3. Compreendendo

 

Segundo os lexicógrafos,* Ciência é o estudo sistematizado, técnico, metodizado e com objetivo certo e princípios determinados; e Arte é o conjunto de regras para bem fazer uma coisa.
Assim é a Holosofia.
Holosofia Ciência. Ela se constitui numa proposta de vida. Uma nova forma de vida. Uma vida pautada por princípios a serem vividos na prática diária, mediante a vontade e a determinação do indivíduo desejoso em se tornar um agente do bem.
Holosofia Arte. Os princípios destinados a nortear o holósofo representam as regras para o bem viver. Viver bem implica fazer o bem.
Para tanto, basta considerar os três Primeiros Princípios da Holosofia: Primeiro, A meditação é a fonte da ressurreição; Segundo, O ressuscitado passa a gozar do estado de saúde plena (física, mental, social e espiritual) ou saudena; e Terceiro, O estado de saudena faz brotar o sentimento de humanidade e a convicção de que fazer o bem é a essência da vida. 
A prática da meditação possibilita o esvaziamento das velhas experiências acumuladas inconscientemente, permitindo o florescer das novas, de forma consciente. O velho morre para renascer o novo.
O renascimento se dá pela expansão da consciência, que garante o estado de saudena, decorrente do equilíbrio bio-psico-existencial.
O estado de saudena aproxima a criatura do Criador e os valores existenciais se renovam.
Por fim, a pessoa escolhe tornar-se um holósofo, um agente do bem. 
Ser agente do bem consiste em reconhecer a magnânima e misteriosa força de realização da Natureza, do Cosmos ou de Deus e, com isto, sintonizar-se com o Universo, praticando ações diárias promotoras do bem-estar físico, mental, social e espiritual de si, do próximo e do ecossistema. 
A Holosofia preserva a liberdade individual, não tem conotação político-partidária, religiosa nem de moralidade social.
Ao holósofo é necessário recorrer à prática da mediação e se permitir rever os seus valores existenciais, mas a leitura regular de obras pertinentes termina por corroborar com a experiência meditativa.
Convém salientar que os valores existenciais atualizados contemplarão a vida enquanto fenômeno universal. A vida concebida como um presente a ser utilizado com o fim específico de completar o cenário universal no tocante às realizações cíclicas e naturais do Cosmos.
Contudo, cabe ao homem valer-se da sua capacidade criativa e cognitiva para aperfeiçoar os recursos naturais existentes e tornar mais confortáveis os dias da sua vida, apenas.
A inobservância desta afirmativa culminará com a tendência à exploração obsessiva dos recursos naturais existentes, voltada tão somente para o acúmulo dos bens materiais, para o enriquecimento ilimitado, até mesmo com atitudes de ameaça ao equilíbrio do eco-sistema, o que será o caos, o pecado capital. 
O sentimento humanitário próprio do holósofo também inclui o reconhecimento da importância da satisfação das necessidades básicas da pessoa – saúde, alimentação, educação, moradia, transporte, trabalho e lazer – até então consideradas, portanto, conclama a justiça e a igualdade sociais. Mas com amor! O amor dinâmico. O amor sentimento expresso em ações!


Termo criado pelo autor, a partir da fusão das palavras “saúde plena”, para denotar a saúde nos quatro planos: físico, mental, social e espiritual.
* Celso Pedro Luft e Aurélio Buarque de Holanda Ferreira

 

   

Sobre...

“A História da Humanidade registra os movimentos de guerra em todos os momentos evolutivos das sociedades no mundo inteiro... Se tem sido possível formar batalhões destrutivos baseados no egoísmo, talvez seja possível, mais razoável e humano compor legiões construtivas respaldadas no altruísmo”